Portal Escritores

MULHERES MALANDRAS DAS NOITES

  

Sou vítima também como tantos,

Que sofre na vida a traição do amor;

De falsas mulheres bandidas

Que não sentem por nós um pingo de dor.

São mulheres malandras das noites,

Que nem sequer pensam em viver;

Tão pouco preverem o futuro da vida

Preferem no mundo sofrer.

Ficam vagando nas ruas,

Trocando de parceiros a todo instante;

Nada pensam no que lhe possa acontecer

O amor para elas são mais importante.

São eternas mariposas que vedem,

O teu ser por qualquer nota de vintém;

Coitadas, não sabe o castigo que levam

Quando chegarem as terras do além.

 

 

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Bezerra
Escrito por:
Bezerra
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 29 de Setembro de 2012

Já foi visto 964 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


926
Leram
0
Vão ler